GUINÉ-BISSAU: PAIGC CELEBRA 67 ANOS ANIVERSARIO DA FUNDAÇÃO

PARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

 

O presidente do Partido Africano para Independência da Guine e Cabo Verde,  afirmou que, celebrar a fundação do PAIGC é renovar o compromisso para o bem-estar do povo guineense.

Domingos Simões Pereira fez esta afirmação esta terça-feira, (19.09) quando discursava na sede principal do PAIGC em Bissau, na cerimónia solene da comemoração de 67 anos da fundação do partido.

Uma cerimónia assistida pelos Embaixadores de Cuba, da Rússia, da Venezuela, encarregado de Negócio da China, Ana Maria Cabral viúva de Amílcar Cabral, Lucete Cabral, a primeira, primeira-dama da Guiné-Bissau, mulher do falecido presidente, Luís Cabral, paridos amigos do PAIGC, combatentes da liberdade de pátria, dirigentes, organizações do partido entre outras individualidades.

“Celebrar o mês de Setembro é celebrar Amílcar Cabral, é render homenagem ao combatente da liberdade de pátria, é enaltecer a epopeia dos jovens, mulheres e homens que consagraram as suas vidas à luta pela liberdade” enfatizou o Presidente do PAIGC.

O líder dos libertadores, reconheceu que há longo caminho a percorrer mas para tal é preciso não desperdiçar o tempo e a energia a avaliar o percurso é preciso retomar a caminhada e nuca mais interromper essa caminhada.

Segundo Domingos Simões Pereira é imperativo repor os fundamentos ideológicos de Amílcar Cabral nos dias de hoje.

O Presidente do PAIGC disse que é preciso fazer este mês de Setembro um juramento de honra, a determinação de servir com elevação, defendendo o mérito baseado no trabalho árduo e a fidelidade a causa comum.

Esta é uma crítica para dentro do PAIGC, aos que estão a exigir posto de governação do país.

O líder do partido libertador convocou os guineenses para voltar o lugar onde começou o Estado da Guiné-Bissau, em 1973, Lugadjol, no sector de Boé, onde foi proclamado a independência da Guiné-Bissau.

“A luta pela independência não foi envã” diz Domingos Simões Pereira.

Ao terminar o seu discurso, Simões Pereira diz ainda que os guineenses devem sempre dizer obrigado aos combatentes da liberdade pátria, por que, dão aos guineenses o que individualmente pai de cada um não conseguiria dar.

O PAIGC comemora esta terça-feira, 67 anos da sua fundação há 19 de Setembro de 1956.

A data recorda os fundadores do maior partido político da Guiné-Bissau, Amílcar Lopes Cabral, Aristides Pereira, Luís Cabral, Júlio de Almeida, Fernando Fortes e Eliseu Turpim.

E, durante a cerimónia solene, o presidente do PAIGC recebeu a mensagem de felicitação do Porta-voz da Assembleia-geral das Nações Unidas que saudou o povo guineense e que lembrou que o pergaminho de Amílcar Cabral sobrevive nas Nações Unidas.

Redaçao/ RDN

 

 

 

PARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Este site usa cookies para assegurar uma melhor experiência de navegação.